in

O que é o JQuery e qual a diferença entre ele e o JavaScript

O que é jQuery?

jQuery, é conhecido como a biblioteca do JavaScript. Ele foi criado dada as dificuldades que os programadores tinham com o JavaScript e para inseri-lo nas páginas da web, sendo assim, ela é um meio facilitador.

Ele ocupa pouco espaço, mas tem muitos recursos de qualidade, entre esses recursos incluem a modificação de códigos HTML, criação de animações e um Ajax de forma simples.

Uma das suas melhores características é que costuma funcionar em uma infinidade de navegadores e é muito fácil de aprender a utiliza-lo.

Ele é um dos poucos aplicativos que ainda funcionam no Internet Explorer 6, por exemplo. Mostrando assim a sua tamanha eficiência dentro da web.

Recursos do jQuery:

  • Manipulação HTML / DOM;
  • Manipulação CSS;
  • Metodos de eventos HTML;
  • Efeitos e animações;
  • AJAX;
  • Serviços de utilidade pública;

Empresas que utilizam o jQuery:

  • IBM;
  • Netflix;
  • Microsoft;
  • Google;

Versões jQuery

Existe hoje, no site oficial da jQuery dois tipos de programas especificando os determinados usuários:

Versão de produção: Uma versão exclusiva para o programa ao vivo, já que ele foi comprimido e minificado;

Versão de Desenvolvimento: Esse são códigos que não estão nem compactáveis, muito menos legíveis, é uma versão para que você possa fazer destes e desenvolver.

O jQuery é feito sobre medida para as páginas HTML

Todo tipo de movimento que o seu visitante faz na página da sua web é controlado pelo jQuery, ou seja, para que ele click em um elemento, selecione qualquer opção que contém algum conteúdo na sua página ou ao menos move o seu mouse de um lado para o outro, apenas acontece por causa do jQuery.

jQuery consegue fazer a quantidade de códigos diminuir

A característica que ele tem de conseguir diminuir códigos desse tamanho, pode ajudar os desenvolvedores a colocar mais itens dentro da sua própria página da web sem que a mesma fique pesada.

Operações em números

Trabalhar em jQuery com números não é uma boa ideia, assim como também não é com JavaScript, pois o sistema da Java, do qual o jQuery é apenas um recurso, não consegue ler. Ou seja, para que você consiga trabalhar com números, é preciso que você trabalhe com números inteiros, principalmente se você está fazendo cálculos matemáticos e precisa de precisão nos seus resultados.

Por que $ é tão importante?

Assim como o JavaScript pode ser representado por praticamente qualquer coisa, desde que esses nomes não comecem com números e não incluam nenhum hífen. Então, o jQuery usa como um nome mais conveniente para si mesmo o código $, então quando você encontrar o código fonte jQuery, você verá:

Ou seja, o jQuery responde a $, recebendo a mesma função quando lugada a algum comando, por exemplo $ . support.

Getters, setters e iteração implícita

Existem muitos métodos que você pode denominar uma vez que você fez sua seleção de códigos. Esses métodos geralmente se enquadram em duas categorias: getters e setters.

Os Getters consegue recuperar uma informação do seu código de seleção e os setters alteram essa seleção de alguma maneira. Praticamente todos os casos, os getters consegue operar em apenas no primeiro elemento desse código de seleção ( .text()é uma exceção notável). Os setters operam em todos os elementos do seu código, usando como o que conhecemos de iteração implícita.

A iteração implícita significa que jQuery se integra automaticamente com todos os outros elementos e códigos em uma seleção. Isso significa que, quando quiser fazer algo com todos os seus elementos que estão em uma mesma seleção, você não precisa chamar um método de setter m cada um desses itens – você apenas chama o método na seleção em si e jQuery integra sobre os elementos para você.

Encadeamento

Talvez essa seja a melhor parte do jQuery em todo o seu processo, a sua capacidade de “cadear” todos os métodos sem precisar usa-los separados. Isso significa que podemos chamar uma série de métodos em uma seleção de códigos sem ter que repetir a seleção ou armazenar a seleção em uma variável. Podemos fazer novas seleções com base em seleções anteriores, tudo sem quebrar a corrente.

O encadeamento é possível porque cada método setter em jQuery retorna para a seleção da qual ele foi nomeado novamente, tornando essa técnica extremamente poderá, essa é uma das técnicas que praticamente todas as bibliotecas de desenvolvimento web adotaram.

No entanto, ele deve ser usado com cuidado. O encadeamento extensivo pode tornar o código extremamente difícil de ler, modificar e depurar, mesmo que seja colocado comentários entre si para que seja gravado. Não há uma regra rígida sobre a quantidade exata que um encadeamento necessita ter, mas, é sempre bom não abusar.

Manipulando os códigos

O jQuery fornece ferramentas extremamente importantes para encontrar o código ou códigos dos quais você está procurando e depois trabalhar com esses mesmos códigos para alcançar o resultado desejado.

Através de seus métodos de passagem e manipulação, é preciso um trabalho bastante árduo para conseguir usar a manipulação de DOM nativo e torna essas tarefas bastante diretas e intuitivas.

Seleção Original

Quando você usa um dos métodos para procurar alguns elementos relativos a uma seleção inicial, jQuery automaticamente armazena uma referência a essa seleção inicial, para o caso de acontecer algum erro ou você queira voltar de onde começou.

Por exemplo, suponhamos que você selecionou uma lista não ordenada, você fez algumas alterações nos itens destas mesmas listas, mas em seguida, você gostaria de retomar a sessão inicial para poder trabalhar novamente com essa lista. Você pode usar o .end()método jQuery para voltar à sua seleção original.

Notebook Lenovo Ideal 320 por apenas R$ 3.139,20

Teste de inteligência